Notícias Gabinete

Publicado em 11 de outubro de 2018

0

RECUPERAÇÃO DA VOÇOROCA VAI COMEÇAR EM BREVE

                                                  DAEE abre tomada de preços para primeira etapa das obras

Uma das grandes preocupações da administração, a enorme cratera que se formou perto das Cohabs V e VI, está próxima de ter uma solução definitiva. Foi publicada no Diário Oficial do Estado de São Paulo no último dia 4, a tomada de preços para a execução da primeira etapa das obras de controle de erosão da voçoroca.

Desde que assumiu a administração o prefeito Amarildo Duzi Moraes vem lutando para conseguir recursos para resolver o problema da voçoroca, se reunindo diversas vezes com autoridades. Em fevereiro de 2017, pela intercessão do deputado estadual Barros Munhoz, o prefeito Amarildo esteve reunido com o então secretário de Recursos Hídricos, Benedito Braga onde mostrou toda a extensão do problema da voçoroca no município e falou das dificuldades para resolver a situação e destacou a necessidade do pedido, já que as casas de muitas pessoas estavam em risco. Na oportunidade foi enviada uma equipe do DAEE para estudar a voçoroca. Nova reunião foi agendada em agosto de 2017 com o secretário Braga e o superintendente do DAEE, Ricardo Daruiz Borsari com o prefeito Amarildo e os deputados Silvio Torres e Barros Munhoz. Outras reuniões foram feitas sobre assunto e estudos para o projeto de recuperação do local.  “Insistimos muito na busca da solução deste problema. Vargem não tem recursos para arcar com a obra e o problema persiste e ameaça as casas dos moradores”, destacou o prefeito Amarildo.

Em agosto deste ano o prefeito Amarildo recebeu ofício da Secretaria de Recursos Hídricos informando que o DAEE realizou novos estudos para aprimorar o projeto realizado.

No último dia 20 de setembro, o secretário Ricardo Daruiz Borsari que está à frente da Secretaria de Recursos Hídricos, e a equipe do DAEE estiveram no gabinete do prefeito Amarildo para tratar do assunto da voçoroca. Após discutirem o projeto visitaram o local e o secretário anunciou que iria ser contratada empresa para primeira etapa da obra que visa a contenção da erosão.

O valor estimado desta obra de contenção é de R$ 1.880.963,98 e após a emissão da ordem de serviço a empresa vencedora da tomada de preços terá 2 meses para fazer as obras. Após será realizada a segunda etapa para recuperação da voçoroca.

“Foi muito comemorada esta notícia para todos os envolvidos na Prefeitura e tenho certeza, também pelos moradores que tem suas casas correndo risco. Essa situação da voçoroca é bastante preocupante e estarmos em vias de iniciar as obras de contenção e dar uma solução definitiva para esse problema que se arrasta a tantos anos, é motivo de grande satisfação para todos nós. Agradecemos imensamente os deputados Barros Munhoz e Silvio Torres que intercederam por Vargem Grande do Sul, aos secretários Benedito Braga e Ricardo Daruiz e a equipe do DAEE que foram decisivos nesta questão. Muito obrigado a todos”, agradeceu o prefeito Amarildo.

 

Caso se arrastou – Sem nenhuma atitude da administração anterior que poderia facilmente resolver o problema no início e com pouquíssimo recursos, a voçoroca numa área rural próximo às Cohabs 5 e 6, cresceu assustadoramente e hoje tem mais de 200 metros de extensão, cerca de 100 metros de largura e cerca de 30 metros de profundidade, ameaçando as casas que estão mais próximas.

Em 2016 o Poder Judiciário concedeu tutela de urgência em ação pública ajuizada pelo Ministério Público contra a Prefeitura de Vargem Grande do Sul. “(…) percebe-se que a erosão tomou grandes proporções durante os anos de 2012 a 2016, especialmente porque nenhuma medida de contenção foi adotada pela Prefeitura Municipal até o presente momento.”, destacou a promotora Maria Carolina da Rocha Medrado Sofreddi que falou ainda do dano ambiental e da situação de risco iminente para os moradores das Cohabs próximas.

Assim que assumiu a Prefeitura, o prefeito Amarildo atendeu a determinação para criar um plano de ação emergencial para a área de erosão, cercar e sinalizar as áreas atingidas, além de orientar adequadamente os moradores sobre os riscos decorrentes do trânsito ou permanência nas proximidades da cratera. Todas as medidas foram tomadas com o envolvimento de vários Departamentos da Prefeitura, Defesa Civil e moradores próximos.

Em paralelo o prefeito Amarildo iniciou incessante busca de recursos para resolver de vez a situação e agora foram anunciadas as obras para solucionar o problema com recursos da Secretaria de Recursos Hídricos, isso através do DAEE.


Sobre o Autor



Back to Top ↑